Prefeitura do Município de Laranjal Paulista

Notícias
17/04/2019
  • Compartilhe
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter

Dr. Alcides dá ultimato à SABESP sobre odor na água

Dr. Alcides dá ultimato e Sabesp terá 90 dias para resolver o problema da água no município
Laudo técnico afasta contaminação – Dados verdadeiros estão disponíveis na internet

O assunto água continua a ser tratado como prioridade na Prefeitura de Laranjal Paulista. Depois de levar o problema do odor de azeite na água que chega às torneiras das casas do município ao Governo do Estado de São Paulo e ao Ministério Público, o prefeito Dr. Alcides de Moura Campos Junior convocou esta manhã uma nova reunião emergencial com a direção regional da Sabesp.

Estiveram presentes ao gabinete, o gerente divisional Sandro Henrique Brambila, a gerente de controle de sanitário, Ana Lucia Silva, e o superintendente Maurício Tápia. A equipe da Sabesp passou por uma verdadeira sabatina coordenada pelo prefeito. O encontro de fato é um desmembramento de uma ação do Procon, e portanto por consequência da Prefeitura de Laranjal Paulista, contra a Companhia de Saneamento Básico, cobrando explicações sobre a questão da água. Justamente, por isso, Tiago Roma Zanchetta, agente municipal do Procon e Leandro Moraes Leardini, secretário de Indústria Comércio e Emprego, também participaram do encontro.

Depois de prestar esclarecimento e oferecer laudos técnicos sobre a qualidade da água oferecida a população, a concessionária chegou a um acordo formalizado em ata.

A Sabesp terá 90 dias para solucionar o problema, contando com amparo do município, da Cetesb e do próprio Governo do Estado. A companhia se comprometeu ainda a revisar critérios e a utilização de novas tecnologias para tratamento da água captada junto ao Rio Sorocaba e distribuída à população. Outra alternativa, previamente discutida, passa por um novo sistema de abastecimento ancorado em poços artesianos, como acontece em outros municípios da região, como é o caso de Tietê por exemplo.

O encontro também serviu para esclarecer informações sobre uma fakenews, lançada esta semana pela internet, que acabou preocupando os laranjalenses. A falsa notícia tratava sobre uma suposta contaminação por agrotóxicos na água fornecida à cidade.

Segundo informações oficiais da Companhia, apesar do odor diagnosticado pela população, a água não está contaminada. Pelo contrário, a sua qualidade obedece aos parâmetros definidos pelo Ministério da Saúde (Anexo XX da Portaria de Consolidação 5/2017).

Essa mesma legislação também estabelece a frequência do monitoramento que deve ser realizado no controle de qualidade da água produzida e distribuída. Para isso, são realizados 90 tipos de testes e mais de 90 mil análises mensais que aferem turbidez, cor, cloro, coliformes totais, metais, agrotóxicos, entre outros. “Este trabalho é realizado em 16 laboratórios de controle sanitário. Os relatórios de qualidade da água são enviados mensalmente ao Ministério da Saúde e também são disponibilizados às Vigilâncias Sanitárias dos municípios operados. Os clientes podem conhecer os resultados na própria conta ou pelo site da companhia em www.sabesp.com.br”, explicou Brambila.

A Sabesp ainda conta com uma equipe de degustadores: especialistas formados por químicos, biólogos e técnicos responsáveis para análise de variáveis no sabor, aroma e densidade do líquido. Os resultados são encaminhados para as estações de tratamento a fim de nortear o tratamento da água e eventuais ajustes preventivos ou corretivos.

Dr. Alcides lembrou que a Prefeitura e toda sua equipe não medirão esforços para solucionar esse problema de maneira definitiva. “Fizemos uma reunião muito produtiva. Primeiro, para trazer tranqüilidade a nossa população, depois para cobrar da Sabesp uma ação efetiva, com prazo, para ser entregue a todos os munícipes. Vamos continuar pressionando, exigindo, fazendo valer o nosso direito”, finalizou o prefeito.