Prefeitura do Município de Laranjal Paulista

Notícias
16/05/2017
  • Compartilhe
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter

MARIA CELIA DE ABREU LANÇA EM LARANJAL PAULISTA O livro “Velhice - Uma nova paisagem”

O livro “Velhice - Uma nova paisagem”

A psicóloga Maria Celia de Abreu mergulhou em um tema cercado de estigmas. Munida de estudos e experiências de grupos, ela propõe uma nova reflexão, mais leve e menos carregada de visões e ideias preconcebidas. Depoimentos de várias personalidades sobre emoções que sentem ao encarar a ideia da velhice completam a obra que será lançada em Laranjal Paulista no dia 19 de maio, às 19 horas, na sede da Apae, Rua José Rodrigo Machado 121, Residencial Solar. A escritora vai fazer palestra sobre Velhice, Preconceito e Novas Paisagens e, em seguida, haverá apresentação da Banda Sinfônica Municipal de Laranjal Paulista, com regência do maestro Fúlvio Antônio Scarme. A promoção é da Secretaria de Cultura da Prefeitura de Laranjal Paulista.

Maria Celia Azevedo de Abreu tem suas raízes em Tatuí. O pai, José Celso Azevedo, era filho de dona Ritinha e Martiniano (conhecido por Timbiu), com os irmãos Mario, Oscar, Silvio, Astor e Bimbo Azevedo. A mãe, Celia Teixeira de Azevedo, era filha de seu Quinzinho, muito conhecido em Tatuí, Joaquim da Silva Teixeira, que dá nome a uma rua na cidade. Maria Celia é sobrinha do compositor Otávio Azevedo, Bimbo, e suas composições (inclusive a valsa “Dirce”, conhecida internacionalmente) serão tocadas pela Banda Sinfônica.

Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) estimam que, em 2050, os brasileiros com mais de 60 anos serão 66,5 milhões de pessoas – 30% da população. Hoje, a expectativa de vida, segundo o instituto, já é de 75 anos. Apesar dos números e projeções, a sociedade ainda não discute abertamente a questão. Se todos nós em breve estaremos envolvidos com velhos, seja porque nós mesmos enfrentaremos a velhice ou porque vamos cuidar de nossos pais, por que preferimos ficar alheios e não falar a respeito? Para a psicóloga Maria Celia de Abreu, a fragilidade dessa condição humana ainda assusta. Ao longo do tempo, ideias preconcebidas foram ganhando espaço e o estigma se estabeleceu.

Com o livro Velhice – Uma nova paisagem (200 p., R$ 61,70), lançamento da Editora Ágora, a autora pretende começar a mudar essa visão. Partindo de estudos teóricos sobre a psicologia do envelhecimento e de vivências colhidas em grupos de estudo, ela propõe que a vida passe a ser encarada como uma estrada que percorre diversas paisagens diferentes – nem melhores nem piores que as outras. “Com todos os benefícios e percalços, cada um deve encarar a velhice do seu jeito. Não tem receita”, afirma.

Para corroborar essa tese, Maria Celia colheu depoimentos de importantes formadores de opinião, entre eles as atrizes Aracy Balabanian e Eva Wilma, o médico Drauzio Varella, o psicoterapeuta Flávio Gikovate (falecido em 2016), o jornalista Paulo Markun, a dramaturga Maria Adelaide Amaral, a antropóloga Mirian Goldenberg, o professor Mario Sergio Cortella (prefaciador da obra) e o autor de novelas Silvio de Abreu, seu marido. Espalhados pelo livro, os depoimentos revelam diferentes opiniões, diferentes paisagens.
“Cada vez que a estrada nos introduz em uma nova paisagem, precisamos descobrir a melhor maneira de transpô-la, de vencer obstáculos, e talvez o que já sabíamos no cenário anterior não nos sirva mais”, afirma a autora. Segundo ela, é preciso reunir energias e entusiasmo e nos concentrar em apreender tais novidades, pois essa é a melhor forma de conduzir essa viagem pela vida.

Sem perder de vista o objetivo de estimular o leitor a melhorar sua qualidade de vida, Maria Celia aborda também temas considerados mais pesados e recorrentes quando se fala em envelhecimento, como corpo, sexualidade, memória, perdas, morte, luto e depressão. “Felizes os que se preparam para as dificuldades com antecedência, armando-se e se fortalecendo durante os períodos de calmaria e de felicidade”, afirma.

A AUTORA
Maria Celia de Abreu nasceu em São Paulo em 1944. Fez o curso secundário no Colégio das Cônegas de Santo Agostinho e se formou na primeira turma de Psicologia da Faculdade São Bento, da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), em 1968. Na mesma universidade, concluiu mestrado e doutorado em Psicologia da Educação.

Hoje aposentada, foi professora universitária. Na PUC-SP, esteve envolvida com planos pioneiros, como a criação do Laboratório de Psicologia Experimental e do Serviço de Apoio Pedagógico ao Professor Universitário (Sedape), e a implantação do projeto do Ciclo Básico de Ciências Humanas e Educação. Psicoterapeuta, atendeu em clínica particular por quase 30 anos. Fundou e coordena até hoje o Ideac – cujo foco principal, desde 1992, é a psicologia do envelhecimento.

Título: Velhice – Uma nova paisagem
Autora: Maria Celia de Abreu
Editora: Ágora
Preço: R$ 50,00 (Ebook: R$ 39,30)
Páginas: 200 (14 x 21 cm)
ISBN: 978-85-7183-199-5
Atendimento ao consumidor: (11) 3865-9890
Site: www.editoraagora.com.br

Mais informações com
Ivani Cardoso (Ideac) pelo telefone (11) 999324765
Ivanicardoso8@gmail.com